A relatividade aplicada aos aniversários

à Amy Winehouse

Esse negócio de tempo de vida é, como diriam os físicos, uma coisa relativa. Veja aí as borboletas. Uma borboleta vive em média um mês. E os passarinhos? Não sei se você sabe, mas um passarinho vive dez, quinze anos, no máximo. Sabendo dessas coisas, a gente pode pensar, “mas, puxa vida, coitados dos passarinhos, vivem tão pouco, né?”. Mas a questão é justamente essa. Não é exatamente que eles vivem pouco. Eles vivem é mais rápido.

Se você não acredita, olhe bem para um passarinho. Ele está sempre arisco, olhando em volta numa velocidade que daria um torcicolo em qualquer ser humano que tentasse fazer a mesma coisa. E pula pra cá. Pula pra lá. Cisca. Se sacode. Olha em volta. Cisca de novo. Dá mais um salto. Dá uma voadinha e pousa na árvore onde dá uma bicadinha numa fruta, se coça, tira uns piolhos, se limpa e se arrepia. E tudo isso em menos de trinta segundos. Já, nós, para fazer metade disso, demoramos pelos menos umas duas horas. E isso sem contar que a gente não voa.

E passarinho transando? Você já viu passarinho transando? É pá, e pimba, e está tudo terminado em menos de cinco segundos. E a gente tem de ficar com esse negócio de levar para jantar, bater um papo, fazer uns carinhos antes, fazer uns carinhos depois. Nossa relação sexual, geralmente, nos toma uma noite inteira e uma boa parte da manhã, que é quando se discute a relação. Agora, vai me dizer que o passarinho vive menos que a gente? Pois não vive. Comparando com o tanto de coisa que ele faz por minuto, se marcar ele vive até mais.

Pois tem gente que é assim também. Eles acham tempo para tudo. Fazem três faculdades, aprendem inglês e alemão, tocam violão, lêem pelo menos um livro por semana, tem emprego fixo e mais uns bicos, já viajaram de mochila até Machu Picchu e pularam de pára-quedas só para ver como é que era. Não deve ser coincidência que os artistas bons mesmo, de verdade, acabaram morrendo cedo, deixando a impressão de que viveram tão pouco. Bem, se você pega a vida dessas caras, vai ver que você aí, com todos esses anos de vida, não fez ainda nem um décimo do que aqueles caras fizeram.

E já está ficando com a leve impressão que não vai dar tempo de fazer nem metade.

There are no comments on this post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: