Tapa o olho, vô!

As crianças, geralmente, descobrem maneiras muito mais simples de resolverem as coisas que a gente costuma achar complicadíssimas. Por exemplo. Outro dia desses, meu neto e eu estávamos ali, assistindo televisão, e de repente começou a passar um filme de terror. Não, eu não sou nenhum maluco que gosta de ficar aterrorizando criancinhas. Acontece que, no comecinho do filme, nada dava a entender que aquilo se transformaria num pesadelo sanguinolento. Aliás, como acontece na maioria dos filmes de terror, tudo parecia que ia muito bem. Uma família feliz, passeando num parquinho, com roda gigante, bexigas e tudo o mais. Meu neto gostou e pediu para eu deixar ali, e eu deixei.

Pois bem. Não tinha se passado nem vinte minutos de filme, e uma criança já tinha sido atropelada por um trem, um homem tinha morrido enforcado e um grupo de velhinhos com cara de bruxo fazia rituais satânicos degolando galinhas e bebendo seu sangue. Um verdadeiro inferno.

Eu, mais do que depressa, tirei do canal, mas o meu neto, novamente, não deixou. E aí eu comecei a reclamar.

– O vô não está gostando nadeca desse filme.

– Por que, vô?

– Porque, porque… porque tem muita coisa feia, ué.

– Que coisa feia que tem?

– Tem galinha morrendo. E o vô não gosta de ver sangue.

– Mas é só fazer que nem eu vô: na hora que aparece sangue, tapa o olho!

E foi aí que eu comecei a reparar que, toda vez que aparecia uma cena mais feia, ele realmente levava as mãozinhas para frente dos olhos, e só dava umas espiadinhas entre os dedos de vez em quando, para ver se a cena já tinha acabado. Se tinha, ele tirava as mãos e continuava a ver o filme, sem problemas.

Infelizmente, essa maravilhosa técnica, que, convenhamos, não é exclusiva do meu neto, mas da maioria das crianças, foi completamente esquecida por nós, adultos. A maioria das porcarias que a gente vê acontecendo por aí está muito além de nossa capacidade de mudá-las. Basta olhar, por exemplo, o movimento hippie, com seus sonhos de paz e amor, o socialismo, com sua proposta de uma sociedade mais igualitária, ou até mesmo as tentativas de afastar o José Sarney do poder.

Tem hora, que o único jeito é tapar os olhos. E ir tocando a vida.

2 Respostas

  1. Muito bom… simples, até inocente, e extremamente objetivo.

  2. … e tem razão: o Sarney é mesmo apavorante.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: