Gramática numa hora dessas?

Alguém aí sabe o que é um advérbio? Então fala aí, de bate-pronto:

– O que é um advérbio?

Pois não tem quem não gagueje frente a uma pergunta dessas. Imagine-se assim, andando pela rua numa manhã de domingo, e alguém segura no seu braço, olha bem nos seus olhos, e pergunta:

– O que é um subjuntivo?

Tudo bem. Eu já devo ter sabido o que é um subjuntivo em alguma época da minha vida, já que cheguei à faculdade relativamente sem muitos tropeços. Mas agora, no momento, eu simplesmente não tenho a menor idéia do que seja um subjuntivo. E mais. Eu acho que não sei o que é um subjuntivo desde o meu terceiro ano colegial, que não vou dizer aqui em que ano fiz, mas eu te garanto que faz muito mais tempo do que você imagina.

Agora, convenhamos. Não saber o que é um advérbio ou um subjuntivo simplesmente não me faz a menor falta. E olha que eu trabalho diretamente na área, seja escrevendo aqui, nesse cantinho, seja montando textos publicitários para a agência de propaganda na qual ganho a maior parte do meu sustento. Imagina então para pessoas que trabalham com outras coisas e não as palavras. Para quê, por exemplo, um médico precisa saber o que é um pretérito perfeito ou presente do indicativo? Pois simplesmente não precisa.

Assim como um adjunto adnominal.Quando eu ouço assim, no ar, a expressão “adjunto adnominal”, ela me soa até que bastante familiar. Me faz lembrar de um tempo longínquo, de um cheiro de livros novos e de professoras usando aventais brancos, escrevendo em lousas negras e repetindo para a gente “dei, deste, deu, demos, destes, deram…”. Mas lembrar assim, do que seja ou deixe de ser um adjunto adnominal, aí já é pedir demais.

Aliás, duvido muito que até os caras mais bilionários desse mundo, tipos Steve Jobs, Bill Gates ou até mesmo o nosso Eike Batista, tenham a menor idéia do que seja um predicado verbal ou uma conjunção coordenativa aditiva. Ninguém sabe uma coisa dessas, oras.

– Tudo bem, vô, e essa aqui: “dobrar a direita” tem crase?

– CRASE? CRASE? Você deve estar brincando comigo! Desde que eu nasci, NINGUÉM nunca soube onde usar esse negócio de crase! Se você quer saber, eu aposto que nem essa sua professora sabe onde colocar essa maldita crase! Crase… Só me faltava essa, agora…

Uma resposta

  1. hahah ! Desenvolvimento livre e leve, como qualquer ótima crônica, mas esse final foi demais ! Me lembrou sua crônica dos horários cotidianos muito apertados .. Ambas engraçadíssimas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: