O fotógrafo

Foto do Victor Hugo

Comprei, outro dia desses, uma câmera fotográfica nova, dessas de não sei quantos megapixel, zoom de 12 vezes, funções automáticas, estabilizador ótico e tudo o mais. Fazia tempo que eu estava precisando de uma. A minha antiga já vinha rateando um pouco e não tinha quase nenhum desses recursos mais modernos. E, o pior. De vez em quando ela começava a tirar umas fotos meio embaçadas, aparentemente sem razão alguma, me deixando na mão em inúmeros aniversários e festas, incluindo aí o último Natal, cujas fotos meus pais estão esperando até hoje.

Quando a máquina nova chegou, a primeira coisa que eu fiz foi dar a antiga para o meu neto brincar um pouco de fotógrafo. É claro que ele ainda tem só três anos, mas tudo bem. Ele se diverte mesmo assim. O que eu não esperava é que o baixinho ia simplesmente adorar tirar fotografias. Depois que aprendeu o básico, como ligar, desligar e clicar, ele passou a ficar o dia inteiro com a máquina pendurada no pulso, fotografando tudo o que vê pela frente e arriscando até a fazer alguns filmes. É claro que a maioria das fotos são absolutamente incompreensíveis. E é esse o maior problema.

Eu não consigo jogar nenhuma foto fora.

O problema já ocorria comigo mesmo, e toda vez que eu deletava uma foto que eu havia tirado, ficava com peso na consciência. Mas, na hora de deletar uma foto que o MEU NETO tirou, aí a coisa descambou de vez. Eu guardo tudo. Desde umas fotos que ele tira a um centímetro do chão, talvez tentando focar uma formiga, até algumas outras que são apenas azuis, sem absolutamente nenhum detalhe para a gente saber se aquilo é um céu ou um pedaço embaçado de sua calça jeans.

Sei que no meu computador não cabe mais nada e, se continuar nesse ritmo, no final de semana que vem o meu neto vai zerar todo o espaço disponível. Algo em torno de 500 gigabytes de dados. Ando pensando em adquirir um HD externo que, para quem não sabe, é uma coisa que aumenta substancialmente o espaço de armazenamento do computador. Mas sei lá. Além do aparelho custar meio caro, eu vou estar só adiando o problema por alguns meses. Eu aposto que, no final do ano, o tal do HD externo também vai estar lotado de closes de dedões do pé e fotos do rabo do meu cachorro.

Eu preciso é tomar uma atitude corajosa. Como vender a minha máquina nova, sei lá.

There are no comments on this post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: