Pode ser no cartão

Eu descobri, e muito atrasado, que a gente só é pobre porque não sabe cobrar. E eu estou falando de money mesmo, meu filho, não de cobranças tipos “você me prometeu isso e não cumpriu”. Não. Eu estou falando de bufunfa, grana. DINHEIRO. Chegou pra mim agora, pediu qualquer coisa, vai ser ali, na bucha: é tanto. Sem tirar nem pôr. Nem se for uns centavos, vou cobrar. O filho chegou e disse “ô pai, me leva na escola?”.

– É dez pau.

– Com assim, dez pau?

– Quer que eu te leve na escola? É dez pau. E tá barato. Gasolina, mais mão de obra, mais risco de acidentes, mais sorrisinhos para os pais dos outros alunos. Dez pau tá barato. Pensando bem, quinze. Sem choro nem vela.

A mulher veio encostando, perguntando se a gente não quer fazer uma visitinha na casa da sogra nesse final de semana? Duzentinho.

– Duzentinho o quê?

– Duzentinhos, oras. REAIS. A gente acerta no final do mês.

– Pra ir na casa da minha mãe?

– É, pra ir na casa da sua mãe. Duzentos reais, incluindo um “Como vai essa saúde aí, sogrona?”.

– Mas… mas… mas a gente vai ALMOÇAR lá!

– Tudo bem, eu elogio o almoço. Fica dentro das despesas com marketing. Tá bom assim pra você?

Mas a minha maior fonte de lucros mesmo vai ficar com os amigos. Já percebeu o tanto de coisa que a gente faz de graça pros amigos em apenas um dia?

– Que horas são?

– Dois reais.

– Não, eu perguntei as horas.

– Eu sei. Agora, pra eu te falar as horas, é dois reais.

– Mas isso é… é… um absurdo!

– Absurdo por quê? Tá achando que o meu relógio saiu de graça?

E tem aqueles serviços que demandam um pouco mais de sacrifício, de conhecimento de causa, de leituras específicas e de horas gastas. Por exemplo, a gente está saindo do serviço, e o cara chega com aquela cara de que comeu e não gostou. E solta:

– Pombas, cara, a Dolores me largou. Foi embora de mala e cuia.

– Olha, antes da gente começar, passa aí cenzinho.

– Cem reais? E pra que você precisa de cem reais?

– Eu não preciso, só estou cobrando.

– Cobrando o quê?

– A consulta. E pode agradecer, um psicólogo cobra muito mais caro. Cenzinho tá de graça.

There are no comments on this post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: