Seu palhaço analfabeto!

Tudo bem. Agora vamos falar a sério. Vamos falar do deputado Tiririca. Não, é sério mesmo. Pode parar de rir. Afinal, qual é o problema de ter um palhaço analfabeto ocupando um cargo no nosso legislativo? Porque é que tanta gente está se sentindo assim, tão incomodada?

Para começar, se alguém mostrar sua Carteira de Trabalho, e lá estiver registrado “Palhaço”, você não deve se assustar. Sim, a atividade circense é reconhecida pelo Ministério do Trabalho já há alguns anos, inscrita sob o código 3762-45 na Classificação Brasileira de Ocupações. A profissão aceita, inclusive, denominações variadas: palhaço, clown, cômico de circo e outros nomes mais ou menos parecidos. Então, nada mais justo que essa profissão, digníssima como todas as outras, tenha um representante seu na Câmara dos Deputados. Se até advogado pode, ué.

Porque é que ninguém protesta, por exemplo, quando a “Bancada Católica” resolve se intrometer em nossas políticas de saúde? E porque é que ninguém se espanta quando lê que existe uma “Bancada Evangélica”, aliás bastante poderosa? O que é que tem a ver Deus com essa lama toda da nossa política? Se palhaço não pode ser deputado, pastor também não devia poder. Nem padres. E muito menos advogados.

É claro que você pode argumentar que o Tiririca, além de palhaço, ainda é analfabeto. Ok. É uma boa argumentação. Mas, que eu saiba, analfabetismo ainda não é crime nesse país. E, se existe algum crime no analfabetismo, não é da parte dos analfabetos, mas dessa gente que é incapaz de oferecer uma educação digna para a população. Além do mais, existem no Brasil algo em torno de 14,2 milhões de analfabetos. São jovens com mais de 15 anos que não sabem nem escrever um bilhete para a namorada. Nada mais justo, portanto, que essa parcela significativa da população também tenha seu representante lá em Brasília. Talvez, até, para modificar essa situação.

Quando eu vejo esse monte de grã-fininho indignado com a eleição do Tiririca, nada me tira da cabeça que essa pegação no pé é, pura e simplesmente, preconceito. É, preconceito.

Todos nós (eu incluído), que cursamos universidades, lemos jornais e ainda temos a maioria dos dentes em nossa boca, adoraríamos ver intelectuais loiros, altos e de olhos verdes sendo eleitos para os mais nobres cargos da República. E, quando temos que encarar um palhaço nordestino, baixinho, meio mulato e falando errado tendo mais de 1,3 milhões de votos para deputado federal, achamos que esse tipinho não nos representará a contento. E não representará mesmo, essa é que é a verdade.

Mas representará uma boa parcela do Brasil.

3 Respostas

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Karina e Douglas , artur de carvalho. artur de carvalho said: Seu palhaço analfabeto!: http://wp.me/pFzuX-64 […]

  2. Bom, deixa eu ver. Tenho olhos verdes, sou metido a intelectual e metido a palhaço. Acho que já dá pra me candidatar a alguma coisa nas próximas eleições.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: