Ainda não inventaram sistema melhor desde a Grécia antiga*?

Uma eleição como esta, que estamos tendo em 2010, já contabilizando os dois turnos que iremos ter, custa mais ou menos R$ 500 milhões à Justiça Eleitoral. Ou seja, a nós. Tudo bem. Meio milhão de reais também não é lá essas coisas. Mas, se você começar a somar tudo o que os próprios candidatos gastaram e ainda gastarão para se eleger, aí a coisa muda de figura.

As doações eleitorais já registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foram, até agora, de R$ 274 milhões, considerando todos os cargos em disputa, de presidente da República a deputado estadual. As registradas, veja bem. Então, a soma já está aí, próxima de R$ 800 milhões. Com o segundo turno, agora, de um jeito ou de outro, a coisa toda deve arredondar aí para, no mínimo, R$ 1 bilhão. Isso, lembro novamente, a gente olhando só para o dinheiro contabilizado legalmente, tudo certinho, conforme todas as leis e tudo o mais.

Bem, um bilhão de reais já é uma quantia bem significativa. Mas ainda não ficamos por aí. Cada candidato tem direito, também pela lei, a gastar dinheiro do próprio bolso para suas campanhas, mas os partidos costumam colocar um teto nesses gastos. No PDT, por exemplo, o teto estabelecido como previsão de gastos para cada candidato a deputado estadual do partido, foi de R$ 6 milhões. Mas é natural que, conforme a importância do cargo cresce, crescem também os gastos do candidato.

O PMN do Paraná (do qual, confesso, nunca tinha ouvido falar até hoje) informou à Justiça Eleitoral há uns meses uma previsão de gastos no valor de até R$ 20 milhões para seus candidatos a deputado federal. O valor é individual. Já, o maior partido do Estado, o PMDB, foi mais modesto. A previsão de gastos para cada deputado federal foi de R$ 6 milhões. E isso a gente nem chegou aos digníssimos Senadores e à Presidência da República, cujos gastos perdi a vontade de procurar, só para não passar raiva.

Se eu estou aqui dizendo que a gente não deve ter eleição? Não. Eu não estou dizendo isso. Eu tive a experiência de passar uma boa parte da minha vida sem elas, e sei que, embora não precisassem ser obrigatórias, as eleições são muito importantes para manter um país razoavelmente estável e livre. No entanto, esses números incomodam.

Também não me perguntem como resolver esse problema. Eu não sei. Só sei que, se um sistema só permite que elejamos pessoas que tenham todo esse dinheiro sobrando, há algo de muito errado com esse sistema.

*A democracia foi inventada na Grécia, pois não?

There are no comments on this post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: