Ninguém está nem aí

Outro dia, eu passava por um barzinho e a TV estava ligada. Era quase hora do Jornal Nacional. Só para confirmar uma teoria minha, eu entrei, pedi uma água com gás, e fiquei observando o ambiente.

Uns fregueses comiam um churrasquinho que os caras assavam ali mesmo, na calçada. Outros estavam jogando um truco, aos berros de seis ladrão e tudo o que tinham direito. Tinha um senhor jogando dominó sozinho e um rapaz, também solitário, mexendo no seu celular, com um fone de ouvido e tomando uma coca-cola. Tinha mais uns grupos, que iam e vinham, levando suas cervejas vazias ou trazendo mais uma para a mesa. O dono do bar, lavava uns copos, com um guardanapo de pano jogado num dos ombros, enquanto ouvia um cara meio bêbado contar uma piada. Tudo mais ou menos igual a todos os barzinhos do mundo.

Bem, aí começou o Jornal Nacional. E a principal manchete, dita num tom de voz grave e sensacionalista, era a demissão da Erenice Guerra do comando da Casa Civil, após uma nova denúncia de lobby no governo, envolvendo o nome de seu filho. Mas, já que estava por ali mesmo, a apresentadora já emendou, comentando também daquele escândalo da quebra de sigilo fiscal de pessoas ligadas ao Serra e ao PSDB. Nada contra o Jornal Nacional. Fatos assim merecem mesmo ter destaque em qualquer noticiário, em qualquer lugar do mundo. Além de serem notícias extremamente importantes, dessas que qualquer jornalista adora dar, são também uma ótima maneira de aumentar um pouco a média de audiência e, porque não, angariar mais anunciantes.

Quer dizer. Isso em qualquer lugar do mundo. Menos no Brasil. Ou, pelo menos, não ali naquele barzinho. Eu simplesmente não vi ninguém sequer levantar a cabeça para dar uma espiadinha na televisão. Apesar da gente estar aí, na boca de uma eleição presidencial, e as denúncias se referirem justamente à candidata que lidera a disputa com folga em todas as pesquisas, absolutamente nenhuma pessoa se deu ao trabalho de prestar um mínimo de atenção no que os jornalistas estavam falando. Continuaram ali, jogando  seu truco, seu dominó, comendo seu churrasquinho e tomando sua cerveja como se aquilo tudo não tivesse nada a ver com eles.

Paguei minha água, saí e voltei para casa. Minha teoria estava mesmo comprovada. Ninguém está nem aí para o que está acontecendo lá em cima. E, para falar a verdade, nem eu.

There are no comments on this post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: