Nada melhor do que não fazer nada

Já percebeu como não dá para conversar num McDonald’s? E não é por falta de pessoas com quem falar, ou que o som seja muito alto. Não. É porque não dá tempo mesmo. Eles servem aquele treco todo com muita pressa, deus do céu. Ninguém aqui está com essa pressa toda. Se eu saio de casa, é para passar um tempo sem fazer nada, jogando conversa fora com a família ou com os amigos. Rir um pouco, se possível. Mas agente vai nesses fast-food e, nem bem nos sentamos, já começamos a comer desesperadamente aqueles sanduichinhos de meia tigela porque tem um monte de adolescente esperando atrás de você, em busca de uma mesa vaga.

Mas o problema nem é com o fast-food que, afinal, está fazendo exatamente o que promete, ou seja, comida-rápida. O problema está é nas pessoas mesmo. Por exemplo. Dia desses, fui com a minha mulher jantar fora, num desses restaurantes tradicionais, a la carte. Fazia tempo que a gente não dava assim, uma fugidinha, para colocar o papo em dia. A gente se sentou, pedimos as nossas coisas. Uma picanha mal passada para mim, um frango com molho de não sei o quê pra ela. Nada muito especial.

Quase que ao mesmo tempo, dois jovens namoradinhos sentaram-se à mesa ao lado. O garçom, antes de levar nosso pedido, já pegou o deles também. Quer dizer, nossos pedidos devem ter chegado à cozinha exatamente na mesma hora. Bem, não se passaram nem cinco minutos, e o cara da mesa ao lado começou a reclamar com sua jovem acompanhante que a comida estava demorando. O garçom passava, e ele reclamava, “pombas, o que é, esqueceu o nosso pedido?”. O garçom saía de perto, e ele reclamava com a coitada da moça que o atendimento ali “uma me…”.

Mas espera aí. Ir ao restaurante provavelmente era, assim como para minha mulher e eu, o principal programa deles para aquela noite. E que graça teria se, nem bem eles se sentassem, a comida já fosse servida? Quer dizer, eles devem ter se arrumado para sair. Também devem ter combinado o programa durante a semana. Resolvido aonde ir. Em qual restaurante.  Essas coisas todas. E aí, eles acabariam de comer em menos de dez minutos, e iriam para casa fazer o quê? Assistir televisão? Transar? Seja lá o que for, com toda a certeza não era nada que necessitasse muita urgência, ou que não desse para ser feito antes ou depois de vir para o restaurante.

Será possível que essa molecada não sabe mais ficar umas horas sem fazer nada, não?

There are no comments on this post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: