Como o tempo anda passando rápido

Veja bem. Outro dia desses recebi um e-mail dizendo o seguinte. Um adulto normal tem algo em torno de 60 mil pensamentos por dia. E, se a gente se lembrasse de tudo isso, para o resto de nossas vidas, ficaríamos completamente malucos.  Por isso, a maior parte destes pensamentos é simplesmente apagada por nosso cérebro. Por exemplo. Tente se lembrar de quantas vezes você trocou a marcha de seu carro para chegar até aqui. Você não se lembra, não é? Pois é isso que eu estou falando. Essas ações que a gente repete muito, para o nosso cérebro, são como se não tivessem existido. Ele apaga. Então, se você passou duas horas do seu dia trocando marchas, para o seu cérebro o dia só teve 22 horas, entende?

Agora, o que é que acontece quando a gente vai ficando velho? As coisas começam a se repetir, oras. A gente já conhece todas as ruas da cidade, praticamente todas as pessoas e já assistimos a quase todos os programas de televisão. É muito difícil acontecer alguma coisa nova na nossa vida depois dos cinqüenta.  As experiências realmente novas vão diminuindo, diminuindo, até quase se acabarem. E o que é que o nosso cérebro faz com as coisas que a gente repete muito, hã? APAGA! Então, de um dia de 24 horas na vida de um cinqüentão, o que o cérebro dele percebe mesmo são só umas duas horas e olhe lá.

Agora, pense um pouco sobre esse nosso emprego aqui. É sempre a mesma coisa. A gente passa o dia inteiro batendo os mesmos carimbos, digitando os mesmo documentos, atendendo os mesmos clientes. Não acontece nada novo! O que esse emprego está fazendo é matar a gente, essa é que é a verdade. Porque a gente passa o dia inteiro fazendo coisas iguais e, no fim do dia, nosso cérebro pega e ZÁZ, apaga tudo. É como se o dia não tivesse existido. O que a gente precisava era de coisas novas para fazer. Coisas que fizessem a gente pensar. Porque, desse jeito que está, a vida vai passar muito rápido. E só com coisas novas nosso cérebro ia perceber de verdade as 24 horas do dia…

– Em compensação, as seis da tarde iam demorar muito mais pra chegar.

– O quê?

– Olha. Segundo essa sua teoria, se a gente começar a fazer coisas novas, nosso cérebro vai perceber o tempo passando mais devagar, não é isso?

– É, é isso.

– Pois então. Aí, com o tempo passando mais devagar, não ia demorar mais para chegar as seis da tarde e a gente ir embora pra casa?

– É, pensando sobre esse prisma…

– Pois então me deixa sossegado aqui, batendo meus carimbos, que pra mim tá bom do jeito que está, tá bom?

2 Respostas

  1. Se o tempo anda passando rápido, o tempo não “anda”. O tempo “corre”… 🙂

  2. depois dos 48, a gente não corre mais. para falar a verdade, andar cansa.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: