O cara que não era nada*

Ele não era nada. Foi ele mesmo quem disse, não foi nenhum de nós.

Quando ele chegou ali, no escritório, carregando aquele pacote, e perguntou se aqui era aqui mesmo e a gente respondeu que sim, era, ele pegou o pacote, entregou e pediu para a gente assinar a nota. Foi quando abrimos o pacote e percebemos que aquilo que ele havia trazido não era exatamente o que havíamos pedido. E foi aí que aconteceu. A gente chegou para ele e conversou sobre o problema. Que ele precisava fazer alguma coisa. E ele disse que não tinha nada com isso.

– Mas como é que não tem nada com isso? É claro que tem!

– Não tenho não.

– Escuta aqui, quem é você?

– Eu não sou ninguém.

Ante nosso olhar de espanto, ele não baixou os olhos. Ao contrário. Olhou bem nos olhos da gente e sorriu. Aparentemente, não ser alguém não o incomodava em nada. Parecia até mesmo orgulhoso de sua posição.

– Espera aí. Ninguém pode ser ninguém.

– É claro que pode. Eu, por exemplo.

– Mas, mas… o que você é lá na empresa?

– Eu não sou nada.

– Mas, qual é o seu cargo?

– Nenhum, oras.

E lá vinha ele de novo com aquele papo. Primeiro, ele era ninguém. Agora, ele era nada e não exercia cargo nenhum. E o pior. Ele não estava nem aí para isso. De cara assim, eu achei meio engraçado. Mas depois comecei a pensar um pouco. E, para falar a verdade, fiquei até com uma certa inveja do rapaz.

Na realidade, a gente passa uma grande parte de nossa vida tentando ser alguém. Criando um estilo, entende? Depois, passamos outro tanto da vida tentando provar para nós mesmos que fizemos a escolha correta em ser aquilo que escolhemos ser, que nós descobrimos a verdade sobre nós mesmos e tudo o mais. Isso para chegar no fim da vida e descobrir, tal como aquele filósofo, que só sabemos que não sabemos de nada. Ou como aquele famoso dramaturgo inglês que eternizou sua dúvida entre o ser e o não ser.

Já, o nosso amigo, descobriu, aparentemente sem muito esforço e sem muitos estudos, que não era nada, não pretendia ser alguém e estava em paz com sua situação de nulidade total, estado de alma que, excetuando-se alguns poucos privilegiados como os santos e os lobotomizados, bem poucos conseguiram atingir ainda em vida. Sorte para ele.

* eu sei, eu sei, isso é a negativa de uma negativa, mas você entendeu o que eu estou querendo dizer.

2 Respostas

  1. Entendi. Ou não.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: